segunda-feira, 27 de agosto de 2012

PRIMEIRO CONTATO




Eu tinha por volta de 12 anos e estava em meu antigo lar, o lugar era uma casa de madeira com três quartos uma sala e cozinha, em frente havia uma pequena cerca de madeira onde sentava apreciando as estrelas, era verão e o clima era... Como vamos dizer... QUENTE MUITO QUENTE!
Pra piorar ainda mais a situação faltou energia, apesar dos insetos e do calor estava uma noite linda, dessas que apenas é possível contemplar no interior sem as luzes da cidade ou a fumaça da poluição para causar algum efeito na visibilidade celeste. Uma noite perfeita para seduzir e livrar uma jovem do peso da castidade.


Meu irmão e eu fitávamos com certo interesse a casa do vizinho bem em frente a nossa num terreno mais elevado em cima de um morro que falecera poucos dias antes, esperávamos algo incomum desde uma visagem a ate ladroes querendo se aproveitar do momento de dor da família. O bairro onde morávamos era novo com chão de terra batida aonde o asfalto ainda não chegara, um lugar perfeito para matar e esconder um cadáver nas áreas de mata aberta coisa que acontecia com certa frequência por aquelas bandas.
 Apesar do local e das possibilidades o céu estava particularmente iluminado com raios e sem televisão ou como brincar no escuro apenas esperamos olhando a paisagem ate a energia voltar, assim ficamos por cerca de 2 horas falando sobre os dias antes da partida, as despedidas, as namoradinhas de infância... Ate que notamos o brilho de um avião, seguido de outro e mais outro totalizando 3. Sempre víamos aeronaves indo para o aeroporto de Letícia, eram diferentes das estrelas devido a cor avermelhada porem 3 ao mesmo tempo e andando juntos seguindo a mesma rota era a primeira vez.


De repente os 3 pontos de luzes se alinharam formando um triangulo no céu ai juntos e em sincronia começaram a girar em velocidade rápida demais como se fossem presos a um eixo central dando voltas e voltas sem perder a formação fazendo uma verdadeira revolução no espaço, a velocidade do giro e o movimento era impossível a qualquer aeronave atual ou daquela época.
 Perguntei para meu irmão se ele estava vendo e ele confirmou sem tirar os olhos daquilo.
* Detalhe depois notar que era algo estranho corremos para dentro de casa para ver de uma janela aberta tentando nos esconder, de puro cagaço mesmo!
Assim ficamos imóveis ate ver aquelas luzes se dividirem e ficarem paradas no ar estáticas em linha por cerca de 7 a 9 segundos, num movimento brusco as três sobem ao espaço em linha reta ate desaparecerem, logo em seguida a energia voltou trazendo de volta as luzes da cidade ofuscando o céu brilhante, nuvens se formaram trazendo uma forte chuva assim sem visibilidade do céu fomos dormir.
Na manha seguinte bem cedo fui em direção ao terreno do nosso falecido vizinho procurando algum sinal afinal, moleque é FOGO.
Chegando lá apesar de ter amanhecido o lugar estava estranhamente quente e para nossa surpresa havia carvão natural na superfície, confusos apenas pegamos uma “pedra” assim voltamos para casa apressados antes que nossa mãe acordasse afinal naquele dia iriamos viajar e estava estressada com os preparativos.



Horas depois deixei minha terra natal e só voltei recentemente para resolver assuntos pendentes.
 Naquela época inocente e impotente não sabia o que estava acontecendo, hoje como Regionalta sei exatamente o que era aquilo, o que fazer e como proceder durante esse tipo de situação... E vocês já passaram por uma dessas?