terça-feira, 29 de janeiro de 2013

DOSSIÊ LARRY #4





Com um soco a mão do rapaz intercepta braço da criatura esfarelando o punho do monstro que geme, Darkeholy incrédulo abre os olhos bem a tempo de ver o outro golpe vindo em direção ao rosto, instintivamente ele defende e para sua surpresa pouco sente o golpe.
Darkeholy: Eu...eu defendi?!
Larry: Sim para isso fui tão duro em seu treinamento, para condicionar seu corpo e sua vontade como um bom combatente, mesmo que acabe engordando seu corpo vai manter boa parte dessas características principais por um bom tempo.
O rapaz grita preparando um novo ataque, ele segue desferindo diversos socos na criatura, em sua mente naquele instante ele relembrava da seriedade como seu parceiro havia o ensinado durante todo aquele tempo levando seu corpo a limites nunca antes explorados por ele. Cerca de oito socos seguidos o garoto ofegante para e vê a criatura caindo no chão se desmaterializando como cinzas diante dos seus olhos.
Larry: Muito bem, você passou pelo teste.
Darkeholy: Estava me testando?  Já não tínhamos acertado tudo antes?
Larry: Vamos para casa, no caminho falamos mais.
Os dois saem daquele lugar, Darkeholy caminhava devagar cansado tremendo e suando bastante, embora aquilo fosse pouco se comparados à rotina de treinos, aqueles socos haviam tomado grande parte de sua energia, ele vê a visão ficar turva e cai desmaiando. 
Suas pernas travam de repente, ele se ergue de forma ereta evai caminhando normalmente, o rapaz abre os olhos novamente e se vê naquela zona escura com Larry o apoiando nos ombros como se o carregando nas costas
Darkeholy: Por que me trouxe aqui?
Larry: O problema em lidar com espers é a imensa carga mental que exige para elevar a vontade a ponto de negar tudo em sua mente, negar ate mesmo o que esta diante de si.
Darkeholy: Isso explica a dor de cabeça...ai!
Larry: Isso exige muito do corpo por hora relaxe , estou levando você para casa.
Darkeholy: A...ainda posso te ouvir, você disse que se eu vencesse me contaria tudo. Sinto que ainda me esconde algo... Eu passei no seu teste droga!
Larry: Certo, certo vou te contar se acalme...
Ao redor dos dois surgem diversas imagens de varias épocas, dados de locais como Pompéia, castelos medievais e pinturas renascentistas ligados com figuras históricas famosas.

Nesse mundo existe um grupo de pessoas que há tempos descobriu sobre minha raça os espers, assim eles nos estudaram e descobriram diversos usos para nós desde escravidão ate como converter nossa existência numa poderosa forma de energia.

 Assim eles tem nos utilizado ao longo da historia para obter favorecimento e riqueza, por baixo dos panos eliminando todos aqueles que fossem uma ameaça ou contrários a seus interesses por menor que fossem.

Surgem novamente cenas de guerras, brutalidades, perseguições politicas, caça as bruxas que novamente somem ficando tudo escuro novamente.

O que eles não contavam era que no meio deles havia um grupo de espers fortes o bastante para combater eles de frente, escondidos, sozinhos eles tem se enfrentado por séculos . Hoje são os ultimos de sua raça ainda livre dos domínios deles, todos prontos para combater junto com um seleto grupo de pessoas que também foram prejudicadas por eles.

Darkeholy: Isso é serio? Eles são o inimigo que você falou?
Larry: Pode apostar, atualmente estamos colhendo informações para uma próxima investida, ate que essa hora chegue eu devo repousar para me recuperar, é ai que você entra.
Darkeholy: Quem mais esta nessa? Aquele careca, quantos mais além dele?
Larry: Bem poucos... Na verdade já é um milagre restarem esses vivos, o inimigo é terrível qualquer descuido poderia acabar de vez com nosso pequeno foco de resistência.
Darkeholy: Caramba, caramba, se você é o ultimo por que acabou com aquele esper?
Larry: Aquele não era racional como eu e você, alguns espers nascem com uma natureza própria que não pode ser mudada, por sorte a minha é muito próxima a dos humanos contudo existem outros que apenas seguem um padrão selvagem e agressivo.
Darkeholy: Sei... Estou ficando tonto é muita coisa de uma vez... Eu...
Larry: Vamos voltar para casa primeiro , falaremos mais tarde o quanto quiser...



O esper controla o corpo do jovem ate seu lar, assim o dia termina com o garoto dormindo em sua cama, ele sonha com visões de batalhas ancestrais. Guerras com homens usando clavas e pedras misturadas a diversos flashbacks em diversos períodos históricos passando por lutas com espadas e mosquetes. Na manhã seguinte o garoto acorda recuperado e confuso.

Darkeholy: Que sonho mais estranho... foi tão real...
Larry: Bom dia, como foi à noite, sente melhor?
Darkeholy: Tive um sonho estranho... Estou todo dolorido.
Larry: Sinto ter que acabar com sua paz logo cedo mas aquilo não foi um sonho.
Darkeholy: O que você quer dizer?
Larry: Você se desgastou muito na luta de ontem por isso tive que ajudar seu corpo a se recuperar usando parte de minha energia, como sou feito puramente disso um pouco deve ter ido para sua mente acidentalmente.
Darkeholy: Aquelas foram memorias suas? Quantos anos você tem afinal?
Larry: O suficiente para ser o avô da sua avó, você esta bem?
Darkeholy: Sim, e pronto para mais um dia.
Larry: Que bom por que tenho algo a falar sobre sua amiga.
Darkeholy: Lucile? O que tem ela?
Larry: Ontem ela falou a respeito de umas historias...Creepypasta se não me engano.
Darkeholy: Os boatos sobre aparições...Acha que podem ser eles?
Larry: Ainda não estou certo ainda, suspeito que exista a possibilidade de alguém estar espalhando essas historias para acelerar o processo de criação de novos espers.
Darkeholy: Isso é possível?
Larry: Depois que uma historia se espalha basta fixar ela no sub consciente das pessoas, da uma olhada nisso que encontrei.
Larry muda de canal onde um telejornal anunciava o desaparecimento simultâneo de diversas crianças em locais do globo.
Darkeholy: Isso é...muito serio, nem consigo imaginar por onde eles começaram.
Larry: Eu te pergunto novamente, você deseja mesmo poder? Aceita pagar o preço por ele?
O jovem fica calado observando a tela da televisão por alguns segundos e o esper continua.
Larry: E um caminho sem volta, faça sua escolha.
Darkeholy: Escolha? Você diz escolha...como pode ser uma escolha quando a opção é ficar sem saber quando alguém vai decidir acabar com toda sua vida. Ficar ignorante vendo alguém mexer com um ente querido seu que nunca vai saber o que aconteceu igual a essas crianças.
Larry: Bem vindo ao time, a partir de agora o seu mundo acaba de mudar para sempre.