sexta-feira, 5 de abril de 2013

"ARCADIA" DE MINHA JUVENTUDE



Antes que venham me falar que o blog ficou chato pra cacete e que agora vai falar de historia, arte ou ate sobre o Capitão Harlock, estou usando esse nome apenas para fazer uma analogia com os lendários árcades.


 Há muitas luas atrás os árcades foram os maiores responsáveis por uma geração de viciados em games, naqueles tempos áureos tudo era incrível começando dos gabinetes com suas artes ate o game em si para a tecnologia daquela época.


SE ESSES GABINETES NÃO SÃO ARTE EU NÃO SEI O QUE É

Aqueles lugares coloridos eram o templo da jogatina nos anos 80 e 90, uma dimensão onde a musica se misturava a cacofonia dos punhos movendo as alavancas, as engrenagens dos volantes e os jovens se digladiando pela a ficha.


Alguns locais abençoados (sagrados) ainda contavam com a presença dos CRASSICOS pinballs que praticamente ajudaram a difundir a palavra fliperama, termo esse que perdurou ate mesmo em algumas locadoras pais afora inclusive aqui no norte.


ARCADE NOVO JAPONÊS NA AREA

Nessa era éramos os ratos de laboratório mais felizes que existem com pequenas experiências que nos induziam as novas jogabilidades diferentes desde o volante, prancha, alavancas e cabines que te davam uma imersão maior que nenhum kinect te proporciona ate hoje.



Mesmo sendo mais simples eram tempos gloriosos que infelizmente essa geração nunca saberá, onde haviam mais descobertas e que hoje mesmo "emulado" não será a mesma coisa. Eu lamento muito por essa geração e as demais que infelizmente não jogaram com a bola quadrada, não veem com misticismo o dono do fliperama e tem muito menos o prazer de zerar um Batletoads.