sábado, 15 de junho de 2013

MUSIC IS VERY PORRETA



Cambada... chegay! 

Quem já viu um filme, serie ou jogou um bom vídeo game já se viu dando aquele passinho que acompanhava o ritmo da canção todo euforico como uma moça.
...
Não minta eu vejo bem através de vocês, quando olho direto nenhum segredo se torna oculto!

 A musica assim como a historia, os personagens e ate o cenário é um elemento dessas narrativas, ela dita tanto o ritmo como o humor dos personagens em determinadas situações criando clima da situação.


Quando o som chegou ao cinema durante o clássico estilo mudo ele era feito ao vivo por uma orquestra  ou banda que tocava uma musica de fundo, depois disso veio a evolução que alem da voz permitiu uma trilha sonora mais elaborada com som dos objetos. Conforme a tecnologia foi se refinando com o tempo outros gêneros foram criados de acordo com os gostos dos grupos humanos  e então eles voltaram ao ponto zero novamente , na normalidade quando os gêneros foram finalmente aceitos como padrão ou normal.
...
Como assim meu amigo legume você pergunta? Eis um exemplo menos complexo.



Bem... quando os jogos foram criados sim havia musica, voz e som nos filmes e na TV, mas nos primórdios haviam limitações tanto de hardware como de software que obrigavam os programadores a fazer magia para adicionar emoção aos jogos. Uns o tinham outros somente ruidos que variavam o que causavam reações diversas, é muito louco pensar que na mesma época onde o rock e outros ritmos estouravam havia gente que adoravam os sons simples improvissos de Final Fantasy ou Pitfall.
Isso não aconteceu só ali afinal sempre que surgiam novos hardwares os sons se adaptavam e assim foram nascendo novos formatos que hoje estão a nossa volta, toda nova mídia também geravam uma nova geração de gênios comparáveis a Beethoven em diversos pontos que nos maravilhavam com suas obras, uns mais famosos outros não mas todos amados.


 NOBUO UEMATSU O GÊNIO POR TRAZ DA TRILHA DE FINAL FANTASY

Enquanto que para alguns a musica possa ser um fator mínimo para outros ela é indispensável, por exemplo, nos filmes é ela que guia a sensação e ate a tensão de algumas cenas e nos jogos faz você entrar no ritmo da situação apresentada ou desafio. Para mim pessoalmente  ficaria difícil matar um dragão se não tocasse ao fundo uma musica épica ou matar bichinhos fofinhos tocando um rock pauleira do mesmo modo que ver um filme como Django Livre onde temos um faroeste com hip hop deixa você com um gosto diferente...não ruim apenas diferente.
Hoje mais do que apenas um “extra” a musica define ate mesmo a jogabilidade em games como Guittar Hero sendo um elemento importantíssimo em diversas indústrias recomendo a todos que busquem pesquisar quem fez, qual técnica usou e principalmente o ano em que certas musicas foram feitas pois elas mais que sons tem muita historia pra contar.