segunda-feira, 24 de março de 2014

PENSA QUE EU SOU HOMI?




Essa historia aconteceu num período distinto onde cada esquina tinha uma lan house , as games com ps2 estavam no auge e o real ainda valia duas vezes mais que o dollar. Eu frequentava uma lan house especializada em jogos onde passávamos horas duelando numa partida nada amigável de Counter Strike ou correndo pelas matas de Azeroth defendendo nossa base no bom Dota.
Eu como um bom e cínico jogador costumava provocar os adversários zoando muito com o rabo deles no meio da partida, isso de forma amigável sem muitas ofensas procurando manter o fair play.
Entre uma morte e outra soltava uma frase de efeito para derrubar ainda mais a moral do sujeito que caia putasso ao ouvir coisas como...




“Tu pensa que é homi? Tu não é homi pra me morrer!”

Assim ficava tardes e noites detonando meus adversários psicologicamente fazendo todos na lan rirem, tudo seguia bem ate o fatídico dia em que minha palavras deram origem a um suicídio social sem precedentes na historia da humanidade.
Bom ao menos na da lan...foi demais acreditem por isso continuem lendo isso.



Bem continuando estamos num viradão jogando Dota e eu como bom suporte puxei um herói de inteligencia para ajudar o grupo, afinal a vitoria começa sempre antes de uma partida saibam vocês e guardem essa lição para sempre.

Estavamos no meio da disputa com 5 heróis de cada lado preparando emboscadas para detonar os adversários, naquela altura um erro e toda a partida penderia para vencedor pois todos estavam com itens caros prontos para inovador a base adversaria.

Eu já havia esgotado em um jogador todo meu arsenal de frases desmotivacionais mas eu havia me concentrado em especial num rapaz inseguro chamado Yoh, assim começamos a batalha final e eu estava no meio do fogo cruzado com meu herói. De repente uma magia me paralisa impedindo a jogada que havíamos ensaiado, meu amigo fica para trás tentando me dar uma chance de escapar e outro chega assim tentando improvisar uma nova jogada mantendo a batalha próxima a base adversaria.


O combate avança com poderosas magias e disputas que deixam Yoh frente a frente comigo e o capitão de minha equipe, a situação era critica pois nosso líder estava ferido e todos nós já sem forças dependíamos da aura dele para nos manter mais tempo na base inimiga.
Como suporte visando a vitoria da equipe gastei meu ultimo item de cura no líder que partiu para com tudo de Yoh, vendo que ele iria morrer em seus últimos instantes lançou sobre mim uma magia lv2 matando meu personagem para a alegria do rapaz que extasiado gritou sem pensar.

“TU PENSA QUE EU SOU HOMEM? SOU HOMEM NÃO!”


Um silencio perturbador tomou conta do local seguido de risadas e zoações que ecoaram por horas no lugar, o rapaz distorcera minha frase de forma gay se queimando de maneira sem precedentes permitindo ao meu time uma vitoria mais que humilhante minutos depois.
Hoje vendo essa briga entre jogadores de League of Legends e Dota dizendo que um é gay pro outro me lembrei dessa curiosa batalha onde aparantemente alguém admitiu ser viado bradando aos quatro ventos.