sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

STRIFE POR UM MOBA MELHOR



Quando League of Legends surgiu muitos jogadores do Dota tradicional torceram o nariz dizendo que era uma copia GLS, que tudo era uma copia e um monte que frases de fãboy que nem merecem serem ouvidas.
Logo outras empresas se meteram no ramo mas uma delas a S2 games já havia feito uma inovação no gênero com seu game de estratégia/ação Savage agradando muitos jogadores, assim nasceu Heroes of Newerth que usando uma engine própria demonstrava seu potencial para a coisa dando a jogadores disputas cada vez mais customizáveis



Porem se sobrava customização ampliava também a dificuldade, pois nem todo mundo possui disponibilidade pra se dedicar unicamente as receitas, combinações e firulas que exigem tempo pra aprender assim para balancear o jogo e tornar mais acessível aos novos jogadores ela lançou o MOBA da segunda geração Strife.



O conceito de “segunda geração” vem do fato que nos mobas em geral os jogadores disputam entre si pelos recursos, pra quem da o golpe final no adversário ou ficam muito tempo lutando na floresta deixando todos na mão pra voltar depois super poderoso, porem aqui tudo é focado em evitar tais praticas. A floresta não oferece tanto ouro quanto quebrar a base inimiga, os soldados adversários são uma boa fonte de recursos e as receitas são simplificadas garantindo que o mais básico dos iniciantes possa não fazer tanta bosta...tanto que tem lista de itens preferenciais para os mesmos.


 PETS AJUDAM A DAR MAIS CARACTERISTICA AOS HERÓIS


Como dois lados podem ficar muito equilibrados existem dois fatores que ajudam dinamizar o jogo que são os guardiões de cada lado do campo, um deles da uma generosa quantidade de recursos para todos no time enquanto que o outro literalmente coloca um sayajin avançando no campo junto com você abrindo passagem para a base inimiga.

Assim que você cria uma conta vai ganhando nível para liberar a dominação sobre os heróis disponíveis, o que ajuda com outro detalhe no que são os mascotes. Mais do que uma criatura fofinha os mascotes abrem ainda mais o leque de status fornecendo habilidades ou mesmo atacando os adversários no meio da batalha sendo liberados com dinheiro real ou moedas do game.


Há também um aplicativo onde você pode levar seu mascote no celular e interagir com ele para obter mais recursos, o que eu acho muito interessante para não perder a ligação com o universo mas que ajuda no ócio diário.

O jogo esta em beta e pode ser baixado gratuitamente , ele é leve pegando ate mesmo num mero computador do governo (ou da Xuxa como chamam os mais íntimos) contando com versões para Linux e Mac o que na minha opinião ajudar a dar mais credibilidade ao sentido de “esporte” pois todos podem praticar sem precisar de poderosos PCs.

Sendo assim bye bye, nos vemos no campo de batalha!